Auxiliares de Perícia fazem visita técnica ao maior núcleo de Papiloscopia da América latina localizado em Brasília

6 de Abril de 2018 # # # # # # #

Um intercâmbio de conhecimentos em perícia delituosa e aquisição de novas técnicas voltadas para a identificação criminal foram oportunizadas aos agentes do Laboratório de Identificação Papiloscópica (LIP) da Coordenadoria de Identificação Humana e Perícias Biométricas (CIHPB) da Perícia Forense do Estado Ceará (Pefoce), durante uma visita técnica realizada ao Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal (IIPC/DF), tido como referência nacional em identificação papiloscópica e reconhecimento facial.

Os auxiliares de perícia Farnésio Vieira e Paulo Harrison Carvalho, viajaram no último dia 03 (terça-feira) com retorno previsto para o próximo sábado (7), e desde então acompanham de perto os trabalhos realizados pelos peritos do IIPC/DF, além de conhecer as instalações e equipamentos que estão entre os mais renomados internacionalmente.

De acordo com o auxiliar de perícia Farnésio Vieira, houve troca de experiências de ambos os lados, sobre produção e manipulação de materiais como por exemplo, ‘pós regulares e magnéticos’. Ainda conforme os visitantes, a ocasião foi fundamental para que se regresse à Pefoce com técnicas mais aprimoradas e resultados mais conclusivos. “Conhecemos as práticas da perícia que está entre as mais modernas da América Latina. Um dos grandes destaques foi a divisão de trabalho operacional das equipes. Daqui levaremos muito conhecimento para implantar no nosso trabalho na Pefoce”, afirmou Paulo Harrison.

Boa parte do destaque e eficiência nas coletas e análises de provas periciais do órgão se dão por meio do trabalho desenvolvido pelo Laboratório de Exames Papiloscópicos (LEP). Trabalho realizado a partir do uso de reagentes e substâncias que revelam impressões papilares por meio da administração adequada de equipamentos especiais com maior segurança. Com os procedimentos realizados pelo LEP, o número de fragmentos de impressões papilares(FIP) são captados com melhor eficiência, o que proporciona mais agilidade na coleta, revelação e análise das amostras comparadas, procedendo em laudos mais concludentes.

Por meio de seus equipamentos de alta desenvoltura e tecnologia avançada, o IIPC/DF obtém resultados otimizados na revelação em diversos tipos de superfícies, além das mais eficientes técnicas de identificação papiloscópica e reconhecimento facial. Com o conhecimento proveniente desta visita técnica, a Pefoce pretende absorver as experiências e desenvolver trabalhos inspirados nos bons resultados apresentados pela perícia do Distrito Federal.